quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Uma lista das ações secretas que a NSA pode fazer - por Jody Avirgan (wnyc.org / Jornal GGN)

Os documentos vazados por Snowden revelaram os truques sujos da NSA para monitorar as comunicações e coletar dados em todo o mundo. 

Mas Barack Obama continuou a fazer a apologia do estado de vigilância, insistindo que a NSA não abusou do seu poder e que ela, apenas reagiu ao atentado do 11/9.

Ao mencionar o atentado, Obama relembra, ao povo americano, que, sem a espionagem da NSA sobre os seus hábitos pornográficos, outro ataque terrorista iria, fatalmente, acontecer. 

O enorme poder atribuído a NSA deve, imediatamente, colocar para escanteio qualquer perspectiva que ela possa ser reformada por este ou qualquer presidente futuro sem o apoio maciço e generalizado da sociedade americana.
Aqui, uma lista das ações secretas que nós sabemos, agora, que a NSA pode fazer, com base em informações de mídia e de outros documentos disponíveis ao público - até agora. 

A lista elaborada por The Brian Lehrer mostra o que a NSA pode fazer:

rastrear os números de ambas as partes em uma chamada telefônica, bem como a localização, hora e duração, 
hackear telefones e mensagens de texto dos chineses, 
configurar internet cafés falsos, 
espionar os telefones celulares dos líderes estrangeiros, 
tocar os cabos de fibra óptica submarinos, 
rastrear a comunicação dentro das organizações de mídia, como Al Jazeera, 
invadir o sistema de vídeo conferência da ONU, 
monitorar transações bancárias, 
monitorar mensagens de texto, 
acessar seu e-mail, chat e histórico de navegação web, 
mapear suas redes sociais, 
acessar seus dados de aplicativos de smartphones, 
tenta entrar em redes secretas como Tor, desviando usuários para canais menos seguros, 
penetrar, sob disfarces, dentro de embaixadas para ter acesso mais próximo de redes estrangeiras, 
criar postos de escuta no topo de edifícios para monitorar as comunicações em uma cidade, 
criar um falso LinkedIn, 
rastrear as reservas em hotéis de luxo, 
interceptar, previamente, os pontos de discussão que serão apresentados por Ban Ki-moon no encontro com Obama, 
quebrar códigos de criptografia de celulares, 
invadir os computadores que não estão conectados à Internet através de ondas de rádio, (Esclarecimento - a NSA pode acessar computadores através de ondas de rádio onde existam dispositivos ocultos já instalados)
interceptar chamadas telefônicas através da criação de estações rádio-base falsas, 
acessar, remotamente, um computador através da criação de uma conexão sem fio falsa, 
instalar falsos cartões SIM para então controlar um telefone celular, 
simular um pen drive USB que é, realmente, um dispositivo de monitoramento, 
quebrar todos os tipos de criptografia sofisticada de computador. (a NSA está  tentando alcançar esta capacidade)
entrar em jogos online e monitorar a comunicação, 
interceptar as comunicações entre aeronaves e aeroportos, 
(Update) interceptar, fisicamente, entregas, abrir pacotes e fazer alterações nos dispositivos.

Tudo em todo o discurso de Obama foi mais do mesmo: divulgou e promoveu o estado de vigilância aos americanos preocupados com a espionagem governamental, mas que não se dedicam o suficiente, politicamente, para enxergar as besteiras através do marketing presidencial.

E pensar que estes são apenas os poderes da NSA que foram revelados pela mídia.

Um comentário:

Sugestão de Livros disse...

É verdade, mais do mesmo.